• Andréa Thomé

Confissões de um Auditor


É isso o que eu faço, é isso o que eu amo fazer e desta forma me energizo e me auto motivo a continuar... A vida de um auditor, ao contrário do que o óbvio demonstra ou supõe, é cheia de surpresas, momentos memoráveis e positivos. Ter a habilidade de entender os objetivos de uma auditoria, desenvolver um escopo alinhado com suas premissas e detalhar as atividades a executar está longe de ser metódico, chato ou negativo.

Estudar objetivos de controle, definir controles a avaliar, elaborar planos de trabalho, selecionar talentos, colocá-los em campo para execução dos trabalhos, acompanhamento das tarefas, garantir a qualidade dos produtos finais, encontrar apontamentos que tragam valor aos processos, conduzir reuniões e apresentações saudáveis e propor melhorias significativas são passos de extrema importância e que acima de tudo têm por premissa elevar a saúde dos negócios em prol de suas metas, por mais que muitos pensem diferente.

Como a maioria dos apontamentos e melhorias apresentados ao final de uma auditoria comumente têm nos riscos e impactos adversos inerentes suas bases de defesa, muitos encaram as sugestões de uma auditoria como punições, busca a culpados ou posições negativas. Na verdade, os apontamentos de uma auditoria são alertas e simulações de situações possivelmente adversas, que podem ocorrer por conta de fragilidades identificadas. E a identificação precoce e ágil destas fragilidades pode evitar que seus impactos adversos ocorram ou podem minimizar seus impactos caso não possam ser evitados. Neste contexto, podemos afirmar que com cada apontamento de auditoria há oportunidades de melhoria a profissionais, atividades, processos, projetos ou estratégias, que podem potencializar os resultados do negócio.

Mesmo com toda esta apologia positiva às tão temidas auditorias, que sob minha ótica poética e profissionalmente apaixonada são salutares e por vezes reveladoras, há que se reconhecer que nem todos visualizam tal positivismo exacerbado nos resultados deste tipo de análise crítica.

É comum e aceitável que as pessoas desconfiem, desafiem e por vezes desacreditem desta retórica positivista. Afinal, o mundo que hoje vem sendo em alguns setores do convívio humano, tão extremista e míope, precisa ser considerado, trabalhado e acima de tudo respeitado. Opiniões divergentes podem e devem existir, pois são salutares, quando se pode expor o lado oposto livremente e sem repressão. O que pode ser simplesmente entendido como posição adversa a óticas, opiniões e entendimentos.

No dia a dia, Opositores Negativistas ou Apoiadores Positivistas às auditorias são facilmente reconhecidos no mundo corporativo por auditores atentos e perspicazes.

Dos Opositores Negativistas percebemos recusas, tentativas de oposição, prorrogação de prazos, negativas a fornecimento de informações e documentos, questionamentos sobre conclusões óbvias, ações desalinhadas com os objetivos e metas do negócio, dentre outras atitudes normalmente padrão e características deste grupo.

Dos Apoiadores Positivistas percebemos parcerias, interesse nos escopos e atividades, negativas a ações de oposição, respeito aos prazos, fornecimento de informações e documentos íntegros, questionamentos positivos e desafiadores, ações potencializadoras de benefícios ao negócio, dentre outras atitudes admiráveis e respeitáveis.

Tenho a satisfação de me encontrar todos os dias com os dois grupos de pessoas acima definidos e o privilégio de aprender muito com ambos. O aprendizado sobre o tabuleiro corporativo e suas peças é demasiadamente rico e admirável. A diversidade de opiniões nos leva a dois extremos e ao percorrermos o caminho entre um extremo e outro encontramos nossa própria opinião.

Diante de alguns destes personagens aprimoro minha habilidade de convencimento e persuasão, com outros compreendo o poder e argumentos de oposição, em outras situações admiro suas habilidades de defesa e oratória sobre os processos sob sua gestão e estes são apenas exemplos diante do universo de situações que esta profissão me proporciona diariamente. Dentro desta dinâmica toda, magicamente descobrimos que em certos momentos nós mesmos somos Protagonistas e em outros Antagonistas, diante de concordâncias e discordâncias sobre as auditorias, seus resultados, suas recomendações ou seus objetivos.

E o mais importante em todo este cenário é que crescemos sempre. As auditorias nos levam a extremos de raciocínio e picos de reflexão, sejamos auditores, auditados, demandantes, observadores, conselheiros, mentores ou meros expectadores.

Aliás, a auditoria como prestação de serviços que é o foco do meu negócio, me proporciona a imersão contínua em diversos tipos de negócios, indústrias, problemáticas, desafios corporativos, resultados e mundos diferentes a cada dia. Além disso, me traz diversos desafios, experiências positivas, aguça meu senso crítico e questionador, me leva ao estudo de processos com profundidade, sempre visando melhorá-los.

Enfim, dá para entender agora o porquê iniciei este artigo citando ser o que eu faço, o que eu amo fazer e a forma como me energizo e me auto-motivo a continuar...

Por fim, diante de tudo isso, convido profissionais de quaisquer gerações ou formações a experimentar uma imersão nesta carreira. Até porque, se considerarmos que a auditoria se trata de uma das três linhas de defesa de suma importância para alcançar e potencializar os resultados dos negócios, dá para acreditar que esta profissão pode torná-los tão apaixonados quanto eu.

Gratidão a cada um dos meus clientes por tantas oportunidades e aventuras!

#Primordial #GRCInnovation #Auditoria #Mentoria

© 2020 by Primordial® Consultoria e Sistemas.